Login

E-mail:

Senha:


Cadastre-se.

Lembrar senha.

Buscas no Site

» Rimas

Selecione o tipo: Palavra Terminação

Digite o termo:


» Poesias

Selecione a seção: Coletânea Galeria

Digite a palavra:


GALERIA

Neste espaço você pode publicar gratuitamente as suas obras (poemas, poesias, sonetos, versos, etc). Para isso, basta clicar no link abaixo. Antes, porém, leia as condições para publicação do site.

» Publicar Obra «

As obras serão listadas por: Ordem de Cadastro, Título e Autor.


Arrebentado de cansaço Autor videira
(Antonio Videira)

Arrebentado de cansaço
Antonio videira ,poema

Atenção meus amigos companheiros
Estou falando sobre o boi e boiada
Muitos poetas e grandes cancioneiros
Não sabe o peso que se encontra nas estradas
E não conhece a bruaca e o cargueiro
Não teve o gosto de fazer uma pousada
Nunca comeu uma carne de baixeiro
Eles não sabem o que é uma arribada

Eu peço licença mais eu preciso falar
Porque eu tenho vinte anos de estrada
A minha vida sempre foi viver e viajar
Tenho patente e pode ser comprovada
Ser boiadeiro na estrada te morar
Tenho experiência se o assunto for boiada
Sobre esta lida tenho muito que falar
A velha traia ate hoje esta guardada

Meu poncho de lá enfeita a minha sala
Um par de redia chata de couro transado
Um bom trinta e oito repletos de bala
Gibão de couro que ficou encostado
Boa chibata com argola charrua e tala
Junto o berrante o laço pendurado
Meu par de espora o tirado e o pala
Um bom cutia no e um pelego traçado

Esse meu tempo nessa lida de peão
Fui muito forte pra jogar um tiro de laço
Sou conhecido por este grande sertão
Por ter firmeza e muita força no braço
Entre polaco e cincerro no estradão
Fui destemido e nunca encontrei fracasso
Hoje sou velho e carrego esta paixão
De um índio velho arrebentado de cansaço.


Enviar para alguém.

Indique este Site

Você gostou do site e quer indicá-lo para um(a) amigo(a)?

Então, clique aqui.


Meus Livros

Livros publicados (clique na capa para maiores detalhes):